Otimização de sites para SEO: um resumo completo

Melhorar o posicionamento de uma página no Google é um dos melhores investimentos de marketing a longo prazo que você pode fazer pelo seu negócio, seja ele um comércio eletrônico ou um blog que vive de publicidade.

E como o Google usa muitos fatores de ranqueamento, nós fizemos um resumo de alguns pontos muito importantes para a otimização de SEO para sites e vamos compartilhar com você.

 

Usar (exatamente) sua palavra chave no título da sua página tem atualmente uma pequena relação com o Ranking

Desde os primeiros dias dos mecanismos de busca, o título principal da página foi (de longe) o fator mais importante para SEO.

Isso porque o título dá às pessoas (e aos buscadores) uma visão geral sobre o assunto principal da página, as palavras que aparecem no seu título tem um impacto direto no posicionamento do seu site.

No entanto, queríamos ver se depois dos avanços do Google sobre Pesquisa Semântica o título da página tinha se tornado menos importante.

Descobrimos que o uso de palavras chave no título ainda continua relacionado com os rankings. No entanto, tem um relacionamento muito menor do que imaginávamos.

Esse resultado mostrou que você não precisa necessariamente usar sua palavra chave exata no seu título para que o Google entenda o assunto da sua página.

Por exemplo, aqui estão os seis principais resultados para a palavra-chave “criação de lista de e-mails”:

 

Observe como nenhum dos resultados contêm a palavra-chave exata “criação de lista de e-mails” em seu título, mas possui palavras chaves relacionadas como “como criar uma lista de Email”.

Este é um reflexo de que o Google não leva mais tão em consideração o uso exato das palavras chave depois que começou a usar a Pesquisa Semântica.
Resumindo: Incluir sua palavra chave no título do seu texto vai te ajudar com rankings para essa palavra chave. No entanto, devido à Pesquisa Semântica, o impacto não parece ser tão grande como já foi no passado.

Quanto mais links externos, melhor o posicionamento

Existem muitos rumores sobre os novos critérios de classificação (como interações sociais) que os mecanismos de busca usam hoje. Muitos disseram que os links externos estão se tornando menos importantes na otimização de sites para SEO.

Nós ficamos curiosos para ver se o Google continua ou não usando o número de links externos apontando para a sua página como um fator importante para a otimização de sites para SEO.

Para mensurar isso nós usamos o Ahrefs, uma API que determina o total de links apontando para cada página do seu site no nosso conjunto de dados.

Descobrimos que as páginas com mais links externos (backlinks) ainda assumem as melhores posições no Google.

Embora o Google continue evoluindo os critérios do seu algoritmo, parece que os backlinks continuam sendo um critério de classificação importantíssimo.

Resumindo: Páginas com mais links externos tendem a rankear melhor do que páginas com menos links externos.

Os Rankings do Google estão intimamente ligados à autoridade do link de uma página

Além dos links externos, nós queremos responder outra pergunta: A autoridade da página que origina o link influencia no rankeamento da página que recebe o link?

A maioria dos especialistas em SEO concorda que a qualidade do link externo é tão importante quanto a quantidade de links externos.

Em outras palavras, é melhor ter um link com autoridade alta apontado para a sua página do que 100 backlinks de baixa qualidade.

E os nossos dados confirmam isso:

De acordo com nosso teste, páginas que recebem link de um domínio de maior autoridade ranqueiam melhor do que páginas que recebem link de domínios de autoridade pequena. No entanto, essa relação não foi tão forte como o impacto da quantidade de links externos. Ou seja, a qualidade dos links é importante, mas a quantidade de links de domínios diferentes (referring domains) parece ser ainda mais importante.

Resumindo: A autoridade do link da sua página é importante.

Se quiser aprofundar o assunto, aqui nós temos uma lista completa com os 200 fatores de classificação do Google.

Usar o Texto Âncora de maneira exata tem boa relação com rankeamento

Desde que o Google lançou sua atualização do Penguin em 2012, muitos especialistas em SEO se posicionaram contra a construção de backlinks escritos com texto exato de âncora. No entanto, vários estudos sobre os critérios dos buscadores descobriram que o texto âncora ainda é importante.
É por isso que queríamos investigar se o texto âncora continuava sendo um critério de classificação importante.

Nossa pesquisa mostra que o texto âncora de correspondência exata tem uma relação muito grande com os rankings.
Logo no início das estratégias de SEO, os backlinks com texto exato de âncora foram uma estratégia muito eficaz. Por exemplo, se você quisesse classificar para a palavra-chave “flores on-line” , você faria com que seus links tivessem o texto âncora “Flores On-Line”

No entanto, o Google provavelmente reprimiu essa prática, começando com a atualização inicial do Penguin. Por esse motivo, não recomendamos criar muitos links que utilizem o texto exato como âncora, apesar de ajudar muito no rankeamento.

Resumindo: Backlinks criados com o texto de âncora realmente são eficazes no rankeamento. No entanto, devido ao risco de penalidade em caso de uso excessivo, não recomendamos o uso de texto de âncora, de correspondência exata, como principal tática de SEO.

Baixas taxas de rejeição estão muito relacionadas ao bom ranqueamento de um site

Muitas pessoas que trabalham com SEO já especularam que o Google usa os “dados de experiência” (como taxa de rejeição, tempo de permanência no site e taxa de clique) como fatores de ranqueamento.

Para testar essa teoria nós puxamos os dados de 100,000 sites e analizamos os resultados no SimilarWeb.

Especificamente, nós analisamos três métricas relacionadas a experiência do usuário: taxa de rejeição, tempo de permanência no site e taxa de cliques nos resultados de busca (CTR).

E nós descobrimos que os sites com uma taxa de rejeição baixa estão ocupando as posições mais altas dos rankings.

Isso não significa que taxas de rejeição baixas levam para um melhor ranqueamento do site.

Sim, pode ser que o Google use a taxa de rejeição como um sinal de classificação (embora anteriormente tenha negado). Porém pode ser também o fato de que o conteúdo de alta qualidade mantém as pessoas mais envolvidas, mais tempo no site, levando para uma taxa de rejeição menor. Portanto, menor taxa de rejeição pode ser, na verdade, uma consequência de conteúdo bem escrito e bem feito.
Como este é um estudo de correlação, é impossível determinar um resultado definitivo apenas usando esses dados.

Resumindo: o Google pode usar a taxa de rejeição como um sinal de classificação. Ou o tempo gasto no site pode ser apenas uma consequência por ser um bom conteúdo, e não a causa do ranqueamento.

 

Experiência do Usuário e Velocidade do Site.

Reconhecendo que o Google também analisa os dados de experiência do seu site e usa como fator de ranqueamento, a velocidade de carregamento da sua página é um fator que também está relacionado à um bom posicionamento no Google.

Se a sua página não está carregando rapidamente, uma boa opção é usar uma Rede de Distribuição de conteúdo. É uma rede de servidores que armazenam réplicas do conteúdo de outros sites na memória (cache) e depois os entrega aos visitantes. Assim você  reduz o tempo de renderização e carregamento das páginas, aumentando as taxas de conversão e melhorando o posicionamento do site nos mecanismos de busca. Com esse vídeo rápido você pode conhecer melhor essa solução.

Essas são modificações simples que você pode aplicar no seu site e acompanhar a melhoria dos resultados.

A otimização de sites para SEO é uma atividade constante, por isso acompanhe sempre o blog e fique por dentro das atualizações que podem te ajudar a ranquear ainda melhor e mostrar seus conteúdos na primeira página do Google.