O brasileiro passa 9 horas por dia na internet, no mundo, 4,3 bilhões estarão conectados até o fim de 2017. Como conquistar esse público?

139 milhões de brasileiros usam a internet e quase 60% de nossa população tem perfil em alguma rede social, como Facebook, Twiter, Instagram e outros.

E os dados não param por aí. Segundo pesquisa divulgada pela We Are Social em parceria com o aplicativo Hootsuite, hoje, acessar a internet pelo smartphone já faz parte da rotina de 52% dos brasileiros que, aliás, contam com quase 240 milhões de números de telefones celulares ativos, 14% a mais que a quantidade de habitantes do país.

Se você acha esses dados impressionantes, veja mais estas estatísticas da pesquisa, juntamente com outras, divulgadas pela União Internacional de Telecomunicações:

  • Até o fim de 2017, 4,3 bilhões de pessoas terão um smartphone com acesso à banda larga, ou seja, quase dois terços da população mundial;
  • 71% dos jovens entre 14 e 24 anos, no mundo, usa a internet. 39% desses jovens são chineses ou indianos;
  • O acesso à internet, hoje, é proporcionalmente 50% mais barato que há 4 anos;
  • 37% da população mundial, isto é, mais de uma em cada três pessoas, usam mídias sociais ativamente;
  • 2,5 bilhões de pessoas no mundo usam as redes sociais via smartphone

Mas mesmo com tanta gente usando a rede mundial de computadores, está cada vez mais difícil para as empresas disputarem a preferência desses usuários por seus sites e blogs.

O motivo? Tempo. As pessoas não têm tempo a perder na internet, elas querem aproveitar ao máximo cada minuto que passam por lá.

 

MUNDO CONECTADO: O TEMPO ONLINE É PRECIOSO

A expressão pode ser antiga, mas com o crescimento exponencial da internet nos últimos anos, ganhou relevância novamente: tempo é dinheiro.

Sim, o tempo é o mesmo para todo mundo, mas se, em média, o brasileiro passa 8h56m na internet, cada segundo desse tempo é precioso.

E para captar a preferência (e o tempo) desse público, as empresas cada vez mais usam um arsenal de tecnologias e estratégias.

Mesmo usando técnicas como:

  • SEO: Search Engine Optimization, ou Otimização de Mecanismos de Busca, que usa as palavra mais procuradas do Google em um site para aumentar as chances dele ser encontrado
  • Marketing de conteúdo, em que se escrevem artigos de qualidade e relevantes para seu público com essas palavras-chave
  • Anúncios pagos no Google ou em Mídias Sociais

Se o site de uma empresa demorar para carregar, é bem provável que seus visitantes desistam de esperar para ler seu conteúdo.

E, para o ranking do Google, que decide quais sites aparecerem nas primeiras posições de busca, uma página que é abandonada rapidamente por seus visitantes perde muitos pontos e dificilmente terá uma localização no topo da lista.

Uma maneira de evitar isso é usar os chamados CDN para otimizar os sites das empresas.

 

MAS O QUE É CDN ?

CDN, Content Delivery Network, em inglês, trata-se de uma rede de servidores que armazenam o conteúdo de um site de forma otimizada e, em seguida, o distribuem rapidamente para os usuários mais próximos, o que diminui muito o tempo de carregamento da site, reduzindo as chances dele ser abandonado por visitantes impacientes.

Este fator é tão importante que já é uma prática amplamente usada nos Estados Unidos, com excelentes resultados, mas ainda tímida no Brasil.

Segundo pesquisa realizada em 2017 pela empresa GoCache, as grandes empresas brasileiras, em termos de número de acessos aos seus sites, seguem esta boa prática Norte Americana, com 70% delas usando CDN, em comparação a 75% nos EUA.

No entanto, quando analisamos os sites classificados como médio-grandes, a diferença aumenta consideravelmente, com apenas 53% deles usando CDN, contra 70% nos Estados Unidos.

Se formos mais adiante, dos sites considerados médios-pequenos no Brasil, somente 31% usa CDN, enquanto nos EUA este percentual corresponde a mais da metade dos sites.

A conclusão a que se chega é que as empresas brasileiras empregam altas quantias na captação de visitantes, mas quando eles chegam até seus sites, muitas vezes os abandonam, devida a demora de carregamento da página.

Você, quanto tempo esperaria para um site “abrir” antes de desistir de ler seu conteúdo?

Segundo dados do Google, se um site não carregar no celular de um usuário em menos de 3 segundos, será abandonado.

É um dado bastante relevante que mais empresas brasileiras deveriam levar em consideração.

Entenda, no vídeo abaixo, com uma CDN pode ajudar a proteger e acelerar seu site: