Riscos, Evolução e Futuro: Os desafios na área de ataques DDoS

O que está em risco em um ataque DDoS em um site ou aplicação web? Certamente, existe um risco financeiro, uma vez que uma possível paralisação da operação online trará prejuízos diretos. Existe o custo da remediação e os clientes afetados podem ter que ser compensados. Existe um risco legal se os dados confidenciais do usuário forem comprometidos. Os prestadores de serviços podem enfrentar consequências financeiras e jurídicas se não cumprirem os seus SLAs. Depois, há os prejuízos intangíveis, como danos à marca ou à reputação de uma empresa, que aparecerão no futuro na forma de perda de negócios e queda nos preços das ações.

A evolução dos ataques DDoS:

Os ataques de negação de serviço distribuídos (DDoS) continuarão a ser uma ameaça significativa em 2024, com uma evolução notável em sua natureza. Antecipa-se um aumento na utilização de técnicas de inteligência artificial e aprendizado de máquina por parte dos atacantes para aprimorar a eficácia dos ataques DDoS. Além disso, a diversificação de vetores de ataque, como amplificação de DNS e ataques de reflexão, exigirá que as organizações fortaleçam suas defesas, adotando soluções de mitigação de DDoS baseadas em inteligência artificial e análise de tráfego em tempo real.

Quanto mais digital, mais vulnerável

Uma frase da moda que ouvimos muito hoje em dia é “transformação digital”. As empresas estão investindo em tecnologias que tornam suas operações mais eficientes por meio de automação, virtualização, nuvem e conectividade. Muitos estão criando novos modelos de negócios alimentados digitalmente que não teriam sido possíveis sem a convergência destas tecnologias. No entanto, as medidas de segurança nem sempre acompanham esta transformação. A Internet das Coisas (IoT), aplicações, redes e dispositivos estão a proliferar mais rapidamente do que os esforços para protegê-los, tornando-os alvos propícios para os atacantes. As próprias tecnologias que tornam a prestação de serviços mais eficiente também tornam as empresas mais vulneráveis a ataques.

Parte da razão pela qual os ataques estão se tornando cada vez mais devastadores é que eles estão crescendo em tamanho e complexidade. Os atores podem empregar uma combinação de metodologias de ataque e atacar diferentes vetores de ataque. As atuais ameaças multicamadas podem combinar um ataque volumétrico em grande escala, que procura sobrecarregar a largura de banda através da força pura, com um ataque furtivo que visa algum aspecto de uma aplicação ou serviço na Camada 7. Esses são os tipos de ataques mais danosos, pois podem ser muito eficazes com apenas uma máquina atacante gerando uma baixa taxa de tráfego (isso torna esses ataques muito difíceis de detectar e mitigar proativamente).

Aumento da conscientização sobre ameaças em nível C

À medida que os riscos DDoS aumentam, também aumenta a consciencialização da gestão. Ataques DDoS de alto perfil levaram a uma melhor compreensão da ameaça no nível executivo. Em 2017, 77% das empresas relataram que o DDoS fazia parte dos seus negócios ou das suas avaliações de risco de TI. Esta é uma tendência positiva e encorajadora. Isto indica que os líderes empresariais estão a reconhecer a proteção DDoS como uma questão de gestão de risco.

As empresas dedicam recursos e conhecimentos substanciais à gestão dos seus riscos e exposição financeiros, regulamentares, comerciais e de mercado. É hora de adotar a mesma postura em relação aos riscos de segurança cibernética, especialmente porque cada vez mais negócios estão online ou dependem de redes conectadas à Internet pública. Você possui controles para garantir a disponibilidade contínua do serviço e mitigar os riscos financeiros, legais e de reputação que um ataque DDoS representa?

Ataques multicamadas exigem uma defesa multicamadas

A proteção eficaz contra DDoS requer contramedidas contra todo e qualquer tipo de ameaça. Uma solução DDoS híbrida totalmente gerenciada, integrando proteção local dedicada com recursos de mitigação baseados em nuvem, é amplamente considerada a melhor prática na defesa contra DDoS. O componente local fornece recursos suficientes de detecção e mitigação contra a grande maioria dos ataques, incluindo ataques de camada de aplicação e de exaustão de estado que têm como alvo firewall, IPS e outras infraestruturas com estado. O componente de nuvem é necessário para fornecer a capacidade de neutralizar grandes ataques volumétricos, que atingem tamanhos de 600 a 800 Gbps. No cenário híbrido, os dois componentes são integrados de forma inteligente para que a mitigação da nuvem seja ativada automaticamente quando um ataque atinge um limite designado.

Os dados WISR deste ano sublinham as consequências crescentes dos ataques DDoS – perda de receitas, perda de clientes e perda de credibilidade. Um investimento em proteção dedicada contra DDoS é uma proteção eficaz contra um dos riscos do seu negócio: a perda de disponibilidade do serviço e as consequências resultantes.


Enfoque na visibilidade e monitoramento de tráfego na camada 7:

Com o aumento da complexidade dos ataques na camada 7, a visibilidade e o monitoramento de tráfego tornam-se elementos críticos da estratégia de segurança. Soluções de análise de tráfego na camada 7 permitirão uma compreensão mais profunda dos padrões de comportamento dos usuários e do tráfego de dados, facilitando a detecção precoce de atividades suspeitas. A implementação de ferramentas avançadas de análise comportamental será essencial para identificar ameaças que se disfarçam de tráfego legítimo.

Foco na educação e conscientização:

A segurança cibernética é uma responsabilidade compartilhada, e a educação contínua dos usuários é essencial. Em 2024, as organizações deverão investir cada vez mais em programas de treinamento de conscientização de segurança para garantir que os usuários estejam cientes dos riscos na camada 7, como phishing e engenharia social, que podem levar a violações de segurança.