,

CDN e SEO: Práticas recomendadas para melhorar seus resultados

Sabe-se que o trabalho de SEO é bastante complexo e envolve uma série de fatores que vão desde a qualidade do conteúdo produzido até os aspectos técnicos da aplicação.

Nesta publicação vamos falar especificamente sobre como o uso da CDN pode contribuir com o SEO de seu projeto, otimizando algumas frentes de performance web que podem trazer ótimos resultados e diferenciar sua aplicação de seus concorrentes, já que com um mercado bastante maduro em relação a otimização orgânica, ajustes finos podem ser seu diferencial competitivo.

Qual a função de uma CDN?

Antes de efetivamente explicarmos como a CDN pode ajudar seu SEO, é importante entender a sua função dentro de aplicações web.

Basicamente, a tecnologia de CDN foi criada para encurtar a distância entre o conteúdo web e seus usuários, consequentemente diminuindo latência de entrega e melhorando a experiência de uso. Por exemplo, digamos que você tenha um e-commerce ou portal de noticias que receba tráfego de todo o país. Se sua infraestrutura está alocada em São Paulo, usuários de qualquer localidade precisam chegar até seus servidores para efetivamente consumir seu conteúdo. Agora, se você utilizar uma CDN com capilaridade de entrega, seus usuários passam a receber o conteúdo através de pontos de presença mais próximos, reduzindo latência e trazendo ganhos em performance.

Como a CDN reduz latência

Além da redução de latência, uma CDN também pode fazer com que sua infraestrutura ganhe disponibilidade e escalabilidade, já que boa parte de seu conteúdo será entregue em cache, sem a necessidade de consultar sua hospedagem. Vale o adendo que a disponibilidade de um website nos tempos de hoje tem sido essencial para projetos digitais, então se você costuma receber mensagens do Google Search Console sobre erros de 5xx, este é um sinal sobre possíveis problemas de disponibilidade que podem afetar seus resultados orgânicos.

Já na questão de escalabilidade, imagine que uma determinada promoção ou artigo tenha ganhado bastante visibilidade, fazendo com que seu website receba muito mais tráfego do que o usual. Caso você não tenha uma CDN ou uma infraestrutura escalável, provavelmente seu site não aguentara essa carga, fazendo com que você fique offline exatamente no momento mais importante e lucrativo.

Como a CDN pode ajudar a melhorar o tempo de carregamento de um site

Definitivamente melhorar o tempo de carregamento de um site tem sido um grande desafio para profissionais de SEO, ainda mais desde 2018 quando o Google oficializou  que a velocidade de um site é um fator de ranqueamento.

Referência: Google Developers: Velocidade é um fator de ranqueamento

Latência: Conforme citamos no inicio desta publicação, a CDN faz que seu site seja entregue com mais capilaridade, reduzindo latência de entrega e consequentemente faz com que sua aplicação seja entregue com mais velocidade.

Tempo de resposta de seu site: O tempo de resposta (server response time) basicamente é afetado pela quantidade de visitas que seu site recebe, pelos recursos utilizados para carregar cada uma de suas páginas e pela qualidade de sua infraestrutura de hospedagem.

Uma das formas de reduzir o tempo de resposta de seu site é fazendo cache dinâmico (html, json..) o que pode acelerar ainda mais sua entrega, reduzindo métricas como TTFB (time to first byte), Start Render e Load Time, além de desonerar sua infraestrutura.

Vale citar que o próprio Google recomenda que sites reduzam o tempo de resposta do servidor para menos de 200 ms.

Politica de cache mais eficiente: O uso de CDN faz com que sua aplicação tenha politicas de cache mais eficientes, permitindo que você personalize seus tempos de TTL. Dentro da GoCache é possível determinar tanto o tempo de expiração de cache dos assets entregues pela CDN quanto pelo navegadores. Inclusive, alguns testes de performance usam essas informações na composição de suas notas. Por exemplo, o PageSpeed do Google considera a configuração de cache-control max-age e sugere, quando possível, que o tempo de cache de navegador seja de um ano ou mais.

É recomendado distribuir seus assets pela raiz de seu site ou por subdomínios

Evidentemente nem sempre é possível seguir dessa maneira, porém, muitos profissionais de SEO acabam negligenciando essa questão, já que por comodidade acabam usando plugins de cache que distribuem o conteúdo estático por hashs de distribuição, o que pode reduzir a autoridade de seu domínio.

Uma prática recomendada em SEO é usar a CDN para distribuir seus assets por subdomínios (exemplo: cdn.seudominio.com.br) ou atrelados diretamente ao a raiz de seu domínio (exemplo: seudominios.com.br).

Otimize suas imagens com a CDN sem esforço técnico

Otimizar as imagens da sua aplicação fazem com que você possa ter bons ganhos de performance, e definitivamente este é um ponto importante em SEO. Normalmente, webmasters costumam otimizar suas imagens antes mesmo do upload, mas nem sempre isso é possível ou viável.

Como a otimização de imagens funciona

Nem todas as soluções de CDN conseguem otimizar imagens, mas se você optar por usar a GoCache, é possível otimizar suas imagens sem nenhum esforço técnico. Para isso, basta habilitar nosso recurso de otimização chamado de Lithio, que faz compressão de imagens, remove metadados e converte imagens para webP ou JPEG progressivo.

HTTPS é um fator de ranqueamento

Assim como o tempo de carregamento, o Google também já sinalizou oficialmente que a abertura em HTTPS é usada como fator de ranqueamento orgânico.

Sabe-se que certificados SSL não precisam ser necessariamente administrados pela CDN, mas certamente utilizar o certificado de borda é uma maneira simples de adequar seu site para HTTPS. Um ponto positivo de usar o certificado SSL da GoCache é não precisar se preocupar com a renovação, garantindo que seu site responda sempre em HTTPS.

Inclusive, caso você use WordPress e queira aprender sobre como usar o SSL da GoCache, recomendamos o artigo abaixo:

Atenção com seu robots.txt e sitemap.xml

Caso você faça cache dinâmico, é importante avaliar se seu robots.txt e sitemap.xml estão em cache e qual a periodicidade em que esse cache é renovado para garantir que esses documentos estejam sempre atualizados.

Se necessário é possível configurar a CDN para dar BYPASS nestes documentos, obrigando que a entrega desses arquivos sejam feitas diretamente por sua infraestrutura.

Fique atento as métricas de Core Web Vitals

Em Maio de 2020 o Google se manifestou explicitamente sobre quais métricas de performance seriam usadas em seu mecanismo de busca: as chamadas Core Web Vitals.

Atualmente o Core Web Vitals usa três métricas:

  • Largest Contentful Paint (LCP) – mede a renderização do maior conteúdo visível da página.
  • First Input Delay (FID) –  mede o tempo que o navegador demorou para responder após a primeira interação do usuário.
  • Cumulative Layout Shift (CLS) –  mede a quantidade de mudanças de layout visíveis e inesperadas que aconteceram na página.

Sabe-se que a CDN pode ajudar a reduzir significativamente o tempo de carregamento e renderização, contribuindo para ganhos em Core Web Vitals. Além disso, a otimização de imagens pode reduzir drasticamente o tempo de download das imagens, acelerando o carregamento da página como um todo, mas principalmente, do maior conteúdo renderizado, que costuma ser uma imagem.

Caso queira conhecer mais sobre o Core Web Vitals, recomendamos a leitura do artigo abaixo: