Conteúdos, dicas e sugestões sobre e-commerce

Otimizando o Desempenho do Magento

Algumas pessoas costumam reclamar que a Plataforma Magento é lenta, mas saiba que é possível torná-la um aplicativo de e-commerce muito rápido.

Para isso você pode precisar de alguns recursos adicionais, como CPU e memória. Mas também precisará de tempo e conhecimento.

Para essa última parte – conhecimento – a lista abaixo vai te ajudar bastante.

Ative a Cache do Magento

Este é, naturalmente, o primeiro passo na otimização: habilite todos os caches disponíveis no “Magento Admin Panel”.

Comprimir imagens

Muitas pessoas esquecem que as imagens (PNG, JPG) podem ser compactadas, o que diminui bastante o tráfego entre o navegador e o servidor web. Não apenas as imagens usadas pela “skin” do Magento precisam ser otimizadas, mas também as imagens de catálogo. Várias ferramentas permitem comprimir lotes de imagens, por exemplo, a ferramenta online Smush.It. Um outro site muito bom é o TinyPNG

Servir conteúdo estático através de uma CDN

O conteúdo estático, como imagens, folhas de estilo CSS ou JavaScript, pode ser servido através de outros servidores mais otimizados para conteúdo estático e espalhados pelo mundo. Por exemplo, uma CDN pode ser usada para que o conteúdo estático seja sempre servido a partir de um local mais próximo do visitante do seu site. Isso é vital para as webshops que atendem clientes em todo o mundo ou em países grandes como o Brasil.

Mas fique atento, pois nem todas CDNs tem multiplos servidores espalhados pelo país. No Brasil, por exemplo, apenas a GoCache e a Akamai possuem multiplos pontos de presença (também conhecidos como PoPs). Já as CDNs como a CloudFlare, CloudFront e Fastly, possuem apenas um ponto, normalmente na cidade de São Paulo ou Rio de Janeiro.

Servir conteúdo dinâmico através de uma CDN

Essa é uma tecnologia muito nova e que trás um gigantesco ganho para e-commerces como Magento, Woocommerce, etc.

Basicamente, a CDN armazena os resultados de dados dinâmicos do seu sistema. Esses resultados são os mais pesados em termos de processamento, pois precisam, a todo momento, de buscar dados nos bancos de dados e processá-los.

Ao guardar em cache esses resultados, a CDN pode economizar até 90% do processamento de seu servidor.

Para isso, a CDN precisa ser capaz de identificar quais desses dados dinâmicos ela deve ou não requisitar novamente ao seu servidor. Esta é uma tecnologia bastante nova e sofisticada, portanto apenas algumas CDN a possuem. Na GoCache essa tecnologia se chama SmartCache e está disponível para todos os usuários (veja mais detalhes).

Desativar módulos Magento desnecessários

Ao desativar os módulos Magento que você não precisa, são utilizados menos recursos de seu servidor – simples assim. Os módulos podem ser desativados através da configuração no “Magento Admin Panel”, ou editando arquivos XML no app/etc/ modules. Por exemplo, desative Mage_Log que executa consultas em todas as solicitações, mas não é necessário se você coletar estatísticas do site usando programas externos.

Habilitar catálogos “flats” (ou planos) para webshops pequenos

Para webshops menores, mudar a estrutura EAV complexa para um catálogo plano pode economizar tempo. Esta otimização é um pouco duvidosa e depende de muitos parâmetros, então não tome esse passo de forma leve.

Conformidade do W3C

Embora se possa argumentar que isso é menos importante com a chegada do HTML5, ainda é um fato que, se suas páginas da web estiverem cheias de erros feios, o navegador terá dificuldade em interpretá-lo. Se você cumprir a conformidade do W3C, é fato que o mecanismo do navegador terá um trabalho fácil ao analisar seu código HTML.

Comprimir os dados de saída

Ao habilitar a configuração PHP zlib.output_compression, a saída gerada pelo PHP é compactada quando enviada para o navegador. Isso economiza banda de seu servidor.

Se preferir, você pode usar o módulo ap_ mod_deflate, que permite também a compressão de saída em outros formatos, além do PHP (CSS, JavaScript, outros arquivos de texto simples).

Configurar opções de PHP

A maioria das configurações do PHP realmente não influenciam o desempenho do Magento, apenas estabelecem determinados limites. Por exemplo, as configurações como memory_limit e max_execution_time não melhoram o carregamento da página, mas garantem de que certas ações não vão tomar tempo e processamento demasiado ou que não gerarão problemas de uso de memória.

Armazenamento de sessão

Com o Magento, as sessões podem ser armazenadas em arquivos ou no banco de dados (configurando app/etc/local.xml). Qual opção funciona melhor, realmente depende de como o ambiente de hospedagem está configurado. Se os bancos de dados MySQL funcionarem bem, o armazenamento de sessão no banco de dados poderá beneficiar seu site. Mas se o MySQL não está configurado corretamente, a melhor escolha pode ser arquivos.

Use um acelerador PHP

Com o opcode caching, a execução do PHP pode ser acelerada. Existem vários aceleradores PHP que fazem esse trabalho (APC, ZendOptimizer+, eAccelerator, XCache). Tanto o APC quanto o ZendOptimizer+ estão funcionando perfeitamente com o Magento.

Ajuste realpath_cache do PHP

Ao ajustar o realpath_cache_size para, por exemplo, 128K (padrão é 16K) e o realpath_cache_ttl para 86400, você pode conseguir uma boa melhora no desempenho. Certifique-se de não ficar sem memória, porque cada instância (ou child) Apache consumirá o tamanho de cache que foi configurado.

Use Apache mod_expires

Ao dizer ao navegador quais arquivos manter no cache e por quanto tempo, você pode otimizar o cache do navegador. Por exemplo, os arquivos JavaScript tendem a mudar muito menos, em seguida, arquivos CSS (pelo menos após primeiros estágios do site), mas talvez, depois que o site estiver maduro e no ar por alguns meses, você possa aumentar a “data de validade” destes arquivos na cache, melhorando ainda mais o desempenho.

Cuidado com 404 erros

Sempre que um arquivo (como uma folha de estilo ou imagem) não é encontrado, isso gera um erro 404. Como o padrão 404 do Magento é capturado pela aplicação do próprio Magento, isso faz com que o aplicativo reinicie a cada erro 404 encontrado. Verifique o log do Apache para garantir que todos os 404 erros sejam resolvidos.

Desativar o log do Magento

Dentro da configuração do Magento, você pode ativar o log na guia Desenvolvedor. Dependendo dos módulos habilitados, isso pode gerar muitos dados pra serem gravados no sistema de arquivos, diminuindo a velocidade da sua loja virtual. Como os logs só são necessárias para depurar algum erro, no uso diário, é melhor desabilitar os logs completamente.

Otimização de tabela MySQL

Através do phpMyAdmin, você pode executar o comando OPTIMIZE TABLE em tabelas específicas do banco de dados do Magento. Quando uma tabela está desordenada, esse comando pode melhorar consideravelmente o desempenho. Isso funciona não apenas para as complexas tabelas EAV, mas também para tabelas MySQL regulares que são usadas com frequência (por exemplo, core_config_data).

Mesclar CSS e JavaScript

Ao combinar todos os arquivos CSS e JavaScript em um único e grande arquivo, o navegador precisará fazer apenas uma solicitação HTTP para receber todo o conteúdo. Isso aumenta muito a velocidade da transferência dos dados para os usuários.

Para juntar esses dados, o módulo FooMan Speedster pode ser usado. O Magento 1.4 contém uma opção para juntar os CSS, enquanto os arquivos JavaScript já são juntados por padrão.

Além de juntar os arquivos, o crunching também é uma opção oferecida pelo FooMan Speedster: ele remove os espaços em branco da saída, mas quando já estamos utilizando compressão no CSS, essa opção é menos necessária.

Use o módulo compilador do Magento

O módulo compilador do Magento limita o número de diretórios que o PHP tem para pesquisar ao procurar arquivos PHP. Isso diminui o tempo de execução do PHP, o que acelera o Magento como um todo.

Lembre-se de que você precisa ter cuidado ao fazer alterações no seu sistema Magento enquanto o compilador Magento está habilitado. As atualizações só devem ser realizadas quando o compilador estiver (temporariamente) desativado.

Um truque muito elegante que acelera as coisas tremendamente é criar um tmpfs-mount especificamente para a pasta include/src. Observe que este tmpfs-mount precisa ser pelo menos 100Mb – de preferência 200Mb.

Ajustes no servidor MySQL

A configuração padrão do MySQL é muitas vezes suficiente para executar um ambiente de hospedagem geral, mas não é otimizado para o Magento. Ajustar configurações como query_cache_size pode aumentar drasticamente o desempenho, mas também é perigoso porque depende muito de outras variáveis ​​(número de bancos de dados, número de tabelas por banco de dados, número de consultas, picos de uso).

 

Desativar módulos Magento locais

Se o seu site não precisar de módulos Magento locais, você pode optar por ignorar a busca de todos esses módulos. Dentro do arquivo app/etc/local.xml, você encontrará uma tag XML que permite que você faça isso.

Tenha cuidado com o HTTPS

Toda vez que você usa SSL entre o servidor web e o navegador, o processo de criptografia e decodificação é adicionado em ambos os lados. Também há uma pequena carga extra no tráfego gerado.

O site Magento roda um pouco mais rápido se você desativar SSL para todas ou ao menos algumas páginas. No entanto, este ganho é tão pequeno em comparação com as outros nesta página, que deve ser tratado com cautela. A banda que você economizou não será enorme, e atualmente o processo de criptografia/decriptografia ocorre em microssegundos.

No entanto, você irá remover a segurança que o HTTPS traz ao seu site e seus usuários e, com isso, você pode perder os clientes que são mais cautelosos e preocupados com segurança e cyber-ataques.

Magento na nuvem (cloud)

Embora as CDNs possam ser usados ​​para otimizar a banda para conteúdo estático e, algumas, o processamento do conteúdo dinâmico, rodar o Magento utilizando “cloud-computing” pode te dar mais escalabilidade em momentos de pico de processamento.

Sistema de arquivos baseado em memória para dados dinâmicos

A quantidade de acessos a disco será muito reduzida ao armazenar dados dinâmicos (diretórios var/cache, var/session) em um sistema de arquivos baseado em memória, como RAMdisk ou tmpfs. Além disso o acesso a estes dados em memória é extremamente mais rápido que em disco.

Desabilitar arquivos .htaccess do Apache

Ao utilizar arquivos .htaccess, você obriga o Apache a inspecionar cada diretório do “path” para ver se este arquivo está presente.

Ao mover essas diretivas de configuração do arquivo .htaccess para o arquivo de configuração do VirtualHost, desligando todos os arquivos htaccess, o tempo de execução do Apache será bem melhor.

Use Nginx ou Litespeed

Enquanto o servidor Apache é muito flexível em suas configurações, existem outros servidores web que são melhor otimizados quanto ao uso da memória. Ao substituir o Apache pelo Nginx ou Litespeed, você poderá acelerar ainda mais os scripts Magento. Ambos os webservers requerem configuração manual para permitir URLs amigáveis para SEO.

Use “lazyload” para imagens

Quando uma página está sendo carregada, um visitante pode perder muito tempo esperando o carregamento das imagens. Dependendo do número e tamanho dessas imagens, isso pode levar tempo considerável.

Em vez de carregar as imagens ao mesmo tempo que a página, você pode utilizar o efeito de LazyLoad JavaScript que garante que apenas as imagens visíveis (dentro da tela do navegador) sejam carregadas, enquanto que as imagens remanescentes são carregadas apenas quando o visitante se desliza para baixo.

Além de acelerar o carregamento da página, ainda irá economizar banda em seu servidor.

Minimizar o log do Apache

Se o log do Apache for minimizado, serão necessárias menos operações de escrita em disco, que são feitas em cada requisição de dados que seu servidor recebe.

É claro que um log mais simples também significa “menos visão” quando algo der errado.

Se precisar dos logs do Apache, uma alternativa é otimizar o sistema de arquivos no qual eles são armazenados. Por padrão, o Apache faz log no sistema de arquivos em “/var” – mas não há necessidade de habilitar coisas como o “journalizing” para esse sistema de arquivos, deixando-o assim mais rápido.

Use

com sabedoria a cache de página completa

Existem várias soluções de Cache de Página Completa (FPC) lá fora, sob a forma de extensões (LestiFPC, Enterprise Edition) ou soluções completas (Nginx, Verniz). Em todos os casos, o FPC não deve ter o primeiro foco. Quando a sua loja Magento está lenta, é devido razões específicas, e esses motivos precisam ser investigados.

Quando as páginas do seu e-commerce estão rápidas (graças ao FPC), mas suas páginas dinâmicas ainda estão lentas, perde-se a ideia geral dessas otimização, que é: ter um site rápido para atrair mais clientes, ter um posição melhor no Google, vender mais.

Então, em geral, o FPC deve ser implementado apenas para deixar ainda mais rápido um site que já é rápido, que já está muito bem configurado.

Ajuste apenas o que é necessário

Uma estratégia de ajustes é ajustar tudo ao máximo, literalmente tudo. Isso significa que você está ajustando o máximo desempenho e espremendo cada milissegundo de todos os seus componentes. No entanto, você também precisa do tempo e recursos para isso.

Outra estratégia é ajustar exatamente aqueles pontos que precisam de mais atençao. Isso é mais eficiente, mas exige que você saiba qual ajuste teria o maior impacto.

A grande questão de quais ajustes devem ser feitos primeiro não pode ser respondida sem uma análise personalizada. Normalmente, um especialista em desempenho de Magento precisaria entrar e verificar toda a loja antes que um conselho sólido fosse dado.

Você pode procurar no site Magento Performance Insights algumas dicas de por onde começar suas otimizações.

 

 

Este artigo foi traduzido de https://www.yireo.com/tutorials/magento/magento-performance/1056-magento-spo

, ,

O que é CDN?

O que é CDN?

Quer saber o que é CDN? CDN é a abreviação para Content Delivery Network, que é uma rede de servidores que armazenam o conteúdo de sites (na forma de “cache”) e depois entregam este conteúdo rapidamente, utilizando a localização geográfica do usuário para conectá-lo ao servidor que estiver mais próximo a ele.

como funciona CDN

 

Porque você precisa de uma CDN no seu site?

 

Velocidade:

Uma vez que comece a utilizar uma CDN no seu site ele ficará certamente mais rápido e mais agradável para seus usuários.

A lentidão de acesso é muitas vezes responsável por seu usuário abandonar o site antes de concluir uma compra, por exemplo.

Maior Robustez

O CDN absorve o tráfego que estaria 100% em seu servidor e o redistribui para dezenas de servidores espalhados pelo planeta. Desta maneira, você poderá ter um servidor mais barato e simples e, mesmo assim, conseguir atender de forma rápida aos seus usuários.

Experiência do Usuário

Ao usar uma CDN você perceberá que a taxa de rejeição dos visitantes de seu site diminuirá e o número de páginas visitadas aumentará.

Isto ocorre porque um site mais rápido proporciona uma melhor experiência para seus usuários

Melhoria no SEO

O Google já afirmou claramente que sites mais rápidos tendem a um melhor posicionamento nas buscas.

Uma CDN certamente te ajudará a conquistar algumas posições nas buscas do Google.

Saiba como aumentar as vendas no seu e-commerce – GoCache CDN

Todo empreendedor deseja vender mais e melhor, não é mesmo?! Ainda mais em momentos de crise, quando normalmente exercer uma atividade comercial torna-se uma tarefa desafiadora. Mas saiba que é possível driblar os percalços econômicos e conseguir sucesso com uma loja virtual. Com planejamento, estratégia e dedicação, o negócio online é capaz de manter bom faturamento de um ecommerce. Para ajudá-lo nesta missão, abordaremos no post de hoje algumas dicas sobre como aumentar as vendas no seu e-commerce. Leia e saiba mais!

Tenha bons canais de comunicação

Como a experiência da compra em um e-commerce é diferente daquela realizada em uma loja física, alguns clientes podem sentir a necessidade de fazer perguntas e esclarecer dúvidas sobre produtos. Por mais que as descrições estejam completas e as ilustrações ricas em detalhes, a possibilidade de conversar com um atendente faz com que eles fiquem mais seguros.

Disponibilize canais de comunicação como, por exemplo, números de telefone, e-mail, chat, whatsapp, etc. Deixe estas informações em um local visível e não se esqueça de informar os dias, horários e tempo previsto para as respostas, caso elas não sejam imediatas.

Cuide de seu estoque

Para aumentar as vendas no seu e-commerce você precisará ter um rigoroso controle de estoque. Isso porque não é possível faturar se os produtos desejados pelos clientes não estiverem disponíveis. Você pode ter que adiar entregase e até mesmo perder vendas. Para que isso não aconteça, fique atento a todas as transações comerciais. Veja quais são os itens que mais saem, cores, tamanhos, modelos, etc. Deixe todos os produtos que você tem disponíveis para venda imediata organizados, e sempre que um pedido for feito, dê baixa no sistema imediatamente. Em hipótese alguma disponibilize um item se você não o tem para envio naquele exato momento.

Cumpra com o que foi prometido

Qualquer experiência comercial deve ser embasada em códigos de ética e responsabilidade com o consumidor. Se você deseja aumentar as vendas do seu e-commerce, cumpra fielmente com aquilo que foi prometido. Prazos, condições de pagamento, características dos produtos, dentre outras questões. Um bom empreendimento sempre tem uma ótima reputação no mercado. E para construir e consolidar a sua, siga à risca todos os combinados. Com isso, suas vendas irão aumentar.

Ofereça uma ótima experiência aos visitantes

É importante que seu ecommerce ofereça uma boa experiência aos usuários que o visitam. É preciso ter layout funcional e uma plataforma que comporte o número de acessos. Para aumentar as suas vendas, seu e-commerce precisará estar 24 horas no ar. E mesmo que ele não receba um alto número de visitantes, não poderá, de forma alguma, sair do ar. Para que isso não aconteça, o uso de tecnologias como CDN, pode ser importante para o negócio.

Utilize um certificado SSL

Outro ponto que é bastante observado pelos internautas na hora de optar por uma ou outra loja virtual é a segurança. Como serão feitas transações comerciais, dados pessoais e bancários informados, é preciso levar esta questão muito a sério para que oportunistas tenham acesso a essas informações e causem problemas. Busque certificados e sistemas para barrar os ataques de invasores. Com o certificado SSL é possível garantir alta segurança no comercio eletrônico e obter maior confiança dos clientes. O SSL faz uso de criptografia para garantir o sigilo das informações transferidas entre o navegador do usuário e o servidor web. Como consequência, mesmo que as informações sejam interceptadas elas não podem ser lidas, pois são criptografadas.

Por fim

Aumentar as vendas de um e-commerce é um trabalho estratégico onde uma ação deverá estar ligada à outra para o sucesso das vendas. Isso significa que você não poderá usar somente uma das dicas de nosso post. Quanto mais itens desta lista você conseguir cumprir, maiores são as chances de seu negócio virtual decolar.

Conheça a Gocache. Acesse o site e saiba como nossos serviços o ajudarão melhorar suas vendas!

 

 

 

 

,

Woocommerce x Magento: Compare e escolha a melhor plataforma para o seu negócio online – GoCache CDN

O e-commerce caminha para uma expansão em larga escala por todo o mundo e para os mais diversificados segmentos. As empresas estão correndo contra o tempo para garantir presença online e abocanhar uma fatia desse mercado em expansão. O problema é qual plataforma de e-commerce escolher para o negócio? Neste post abordaremos as características de duas das principais ferramentas atualmente no mercado, voce decide qual usar, WooCommerce ou Magento. Para escolher, dê uma olhada nas particularidades de cada uma, assim descobrirá qual a mais adequada ao negócio.

WooCommerce ou Magento

Quem busca uma plataforma de e-commerce para abrir, ou migrar o seu negócio para a internet, pode encontrar a resposta aqui. As duas plataformas oferecem boas ferramentas para ajudar a garantir o sucesso da sua loja virtual. Ambas são de código aberto (Open Source), permitem inclusão ilimitada de produtos e disponibilizam ferramenta de blog. Abaixo destacamos vantagens e desvantagens das duas plataformas, para ajudar a decidir pela utilização de WooCommerce ou Magento.

WooCommerce

A plataforma de e-commerce WooCommerce trabalha bem para atender as necessidades de uma loja virtual pequena, principalmente se você já está acostumado com a interface do WordPress.

– Vantagens

Oferece uma interface simples, porém muito eficiente. O download é gratuito e necessita de poucos recursos financeiros para mantê-la. Possui ainda uma boa usabilidade que o torna intuitivo e, por isso, fácil de usar. Por ser um plug-in do WordPress, ele funciona bem com os outros plug-in disponíveis na plataforma e isso gera uma boa experiência de navegabilidade no site.

– Desvantagens

Caso não utilize o WordPress, essa plataforma pode não ser a mais adequada. O WooCommerce é bom para quem está iniciando um projeto pelo WordPress e, também, por oferecer ferramentas úteis ao usuário através dos widgets.

Magento

A plataforma de e-commerce Magento atende melhor as necessidades de grandes empresas por sua flexibilidade de tamanho, mas exige maiores investimentos financeiros para a criação e manutenção.

– Vantagens

É ideal para empresas grandes ou que estejam crescendo rápido, pois ela tem um maior poder de customização. A plataforma oferece ainda a opção de tradução para outros idiomas, além de reconhecer moedas estrangeiras. Com o Magento, é possível adicionar e alterar descontos nos produtos, além de uma boa ferramenta de filtragem que ajuda os usuários a encontrarem melhor os produtos no site.

– Desvantagens

As extensões, muitas vezes necessárias, demandam mais investimentos e a vasta quantidade de recursos disponíveis pode atrapalhar o visual atraente. Mesmo disponibilizando vídeos de tutoriais e assistentes de instalação, você poderá encontrar dificuldades na hora de adicionar mais extensões no site, o que pode gerar a necessidade de contratar um desenvolvedor especialista na plataforma.

Ressaltamos ainda que, seja no Woocommerce ou Magento, há uma grande variedade de temas para a personalização das páginas. As plataformas são de código aberto e permitem a criação e manutenção de um site personalizado, que atende o projeto do negócio dentro de suas especificações. Sendo assim, analise as características particulares de cada uma e descubra qual plataforma melhor se encaixa no seu projeto.

Semelhanças entre as plataformas

– Open Source: Livre para edição e customização;

– O software é gratuito, mas se você deseja recursos específicos terá que instalar na plataforma (pode ser gratuito ou pago) para obter recursos adicionais como, por exemplo, integração com gateways de pagamento;

– Ferramenta de blog;

– Inclusão ilimitada de produtos;

-Temas para personalizar a aparência da sua loja.

E você, já decidiu em que plataforma abrir seu varejo online – WooCommerce ou Magento? Conte-nos nos comentários.

Lembrando que, independente da sua escolha ser WooCommerce ou Magento, o uso de uma CDN traz vários benefícios para uma loja virtual. Destacam-se a melhora na taxa de conversão, redução da taxa de rejeição, melhora no ranking de SEO e redução nos custos de infraestrutura.

  • Saiba mais sobre os benefícios que o uso de uma CDN pode trazer à sua loja online aqui.
  • Teste a melhor plataforma CDN do Brasil gratuitamente e sem compromisso neste link.
,

Dicas de SEO para e-commerce – GoCache CDN

No comércio eletrônico, a busca orgânica é uma relevante via que leva o público de visitantes, compradores em potencial, a acessar sites e, em uma etapa seguinte, também efetuar as compras.

O SEO (Search Engine Optimization) é um conjunto de técnicas que visa tornar um site capaz de ser encontrado bem posicionado na página de resultados da busca orgânica, também conhecida como SERP (Search Engine Results Page).

Há diversos fatores que podem influenciar o posicionamento de um site nos resultados dos mecanismos de busca. Existem características de sites e ações de otimização que facilitam um bom posicionamento nos resultados de buscas. Entretanto, as percepções e regras dos diferentes mecanismos buscadores podem ser alteradas com o decorrer do tempo. Portanto, uma técnica de otimização que é positiva em um buscador atualmente pode futuramente deixar de ser eficaz. Com o dinamismo da internet, é possível notar que certas medidas de otimização, outrora eficazes, deixaram de ser relevantes.

Ser perenemente bem interpretado pelos algoritmos dos mecanismos de busca é o que quer grande parte dos sites de comércio eletrônico. Alguns procedimentos já se mostraram prodigiosos no cumprimento desse objetivo.

Não praticar o Black Hat SEO

Black Hat SEO é como são chamadas as técnicas de SEO que deliberadamente contrariam as diretrizes dos mecanismos de busca. Quem utiliza o Black Hat SEO pode até conseguir algum bom resultado momentâneo, todavia, esta não é uma opção sensata, visto que as consequências podem ser bem prejudiciais. Os mecanismos de busca têm autonomia para penalizar o site com a perda de posições ou até mesmo desindexar o site nos resultados de busca. Estima-se que o Google utilize em torno de 200 variáveis para definir o posicionamento de um site para cada palavra-chave. O Black Hat tem o objetivo de manipular as principais variáveis para enganar os mecanismos de busca, oferecendo-lhes, geralmente, conteúdo diferente do proposto, mas que passa a deixar de ser classificado assim que o uso da prática é identificado pelos buscadores.

Estudo das palavras-chave

As palavras-chave são decisivas nas ações de SEO. O site de e-commerce precisa saber quais são as palavras-chave relacionadas aos seus produtos que os potenciais compradores procuram nos motores de busca.

Meta descrições

A meta descrição das páginas contém um curto texto de apresentação do site para os mecanismos de buscas. Os usuários que procuram por um termo no buscador se deparam com essa descrição que pode ser determinante no momento de escolher um site para visitar. É indicado que o texto da descrição seja objetivo, sucinto e bem sugestivo.

Títulos das páginas (Page Title ou Title Tag)

É recomendado que os títulos das páginas sejam únicos e customizados para cada página do site. Um bom título pode conter o nome do site, da empresa ou loja virtual, além de uma palavra-chave principal e uma palavra-chave secundária, ambas devidamente relacionadas com o conteúdo da página em questão. É bastante válido que o título não ultrapasse os 60 caracteres, pois com mais do que isso, o texto tende a não ser exibido integralmente nos resultados dos mecanismos de busca.

Títulos no corpo da página (Page Headers)

O título e subtítulos presentes no corpo das páginas do site indicam aos motores de busca quais partes do conteúdo devam ser consideradas mais importantes. É interessante incluir palavras-chave no título e subtítulos, além de utilizar as tags heading adequadamente quanto à hierarquia de informações. Em geral, as tags heading são usadas somente nos títulos, subtítulos ou chamadas importantes. Uma boa prática indica utilizar somente uma tag H1 por página.

Complemento amigável dos endereços das páginas do site

O URL, como é conhecido o endereço dos sites, é considerado mais amigável quando o próprio visitante, ao vê-lo, consiga supor rapidamente qual o conteúdo da página. Por exemplo, os motores de busca tendem a reconhecer positivamente as páginas que tenham o URL com as características do endereço fictício www.lojavirtualxyz.com.br/categoria/nome-do-produto, enquanto um endereço como www.lojavirtualxyz.com.br/produtos.php?id=150&cat=25 não seria muito indicado.

Otimização das páginas de produtos

Conteúdo exclusivo e original é um fator importante na descrição de cada produto. Muitos podem pensar que repetir as descrições dos fabricantes seria o ideal, porém, os motores de buscas não interpretam positivamente os conteúdos duplicados. Além de uma descrição qualificada e das informações técnicas, é possível deixar a página mais completa com fotos de diversos ângulos, imagens criativas, vídeos pertinentes e respostas a dúvidas comuns. Vídeos de simples desempacotamento de produtos já receberam inúmeros acessos em sites especializados em vídeos. Isso demonstra que o comprador procura por experiências que muitas vezes não são encontradas nos sites de e-commerce.

Busca interna no site

É comum que os sites disponibilizem aos visitantes uma alternativa de busca interna. Assim, os visitantes podem digitar o nome de um elemento que querem encontrar no site, que pode ser, por exemplo, um fabricante, um produto ou atributo de produto.

Analisar os dados da busca interna é um recurso valioso, pois possibilita saber o que os visitantes querem no site, mas não encontram facilmente. Conforme a análise dos dados, palavras-chave, até então subestimadas, podem passar a ter um tratamento mais privilegiado.

Análise do tráfego

Ferramentas analíticas de tráfego, como o Google Analytics, dispõem de muitos recursos para se conhecer a quantidade e qualidade de visitas que os sites recebem. Com a utilização dessas ferramentas é possível avaliar e aprimorar constantemente o trabalho de SEO.

Mapa do site (Sitemap)

O sitemap é basicamente uma lista com todas as URLs do site. Quanto aos robôs de busca, este recurso é considerado útil no entendimento da estrutura do site e indexação das páginas.

Informar aos buscadores o que deve ser desconsiderado

Através do arquivo robots.txt, localizado na raiz do web site, é possível informar aos mecanismos de buscas quais páginas e arquivos eles não devem indexar.

Tempo de carregamento das páginas

A rapidez no carregamento das páginas é avaliada favoravelmente pelos visitantes do site. Mas ela também entra na lista de avaliação dos mecanismos de busca levam em consideração a velocidade do carregamento, logo, os sites com carregamento demorado levam desvantagem nesse aspecto. O Google PageSpeed Insights e o Pingom são dois aliados importantes para avaliar a performance de abertura do site.

 Seja agradável

É convencional que o site de e-commerce procure ter atenção quanto ao SEO. O que alguns não percebem, entretanto, é que as diretrizes dos mecanismos de busca, pelo menos teoricamente, privilegiam as características de sites que sejam positivas para os visitantes.

Prioritariamente, o site deve ser planejado e estruturado para proporcionar uma experiência de navegação qualificada ao visitante. Se for agradável para o visitante, o site está apto para naturalmente ser também bem classificado pelos mecanismos de busca.

E você, tem encontrado dificuldades para implantar as técnicas SEO em seu website? Nos conte nos comentários.